|

X

 

 

A Exposição “1986-2006 – Portugal e Espanha, 20 anos de integração europeia” em exibição no W Shopping entre 18 e 29 de Outubro, faz o balanço dos 20 anos de adesão de Portugal à União Europeia, que hoje, passados 25 anos desde que Portugal assinou o Tratado de Adesão é indiscutivelmente positivo. Para os que, na altura, se mostravam mais relutantes, elaborando prognósticos reservados e sombrios, os números estão aí para demonstrar que se tem escrito uma história de sucesso. Foram criadas condições económicas, sociais e culturais para que Portugal acedesse ao conjunto dos países mais desenvolvidos. O país deixou de estar condenado à periferia de uma Europa que estava em franco progresso e tornou-se mais apto a enfrentar os desafios da globalização. A democracia foi consolidada, permitindo um reforço da estabilidade e competitividade e uma melhoria das condições de vida dos cidadãos. O país tornou-se mais aberto, capaz de actuar num quadro marcado pela diversidade, alcançando uma visão cosmopolita das relações internacionais. Com a ajuda dos fundos estruturais – a maior operação de solidariedade na história de Portugal – o país foi elevado a outro nível de expansão económica. É certo que nem tudo foi perfeito, mas certamente da experiência acumulada se retirarão as lições que permitirão aproveitar no futuro, de forma ainda mais eficiente, as oportunidades de desenvolvimento que a União Europeia proporciona.
Para Portugal e para Espanha, falar de Europa é falar, talvez, dos vinte melhores anos da vida dos dois países ibéricos. A nossa memória colectiva, cá e lá, neste espaço comum que dividimos e que muitas vezes amarrou um ao outro os nossos dois destinos, raras vezes nos oferece um período de confiança, de progresso e de liberdade como este.
Serve, pois, esta exposição conjunta dos vinte anos que leva a integração de Portugal e de Espanha na União Europeia, para colocá-los em perspectiva e contribuir para um debate europeu, capaz de mobilizar também as novas gerações de portugueses e espanhóis, como mobilizou antes as gerações que tiveram a responsabilidade de conduzir os dois países à Europa democrática, livre e desenvolvida da qual andaram arredados durante tantos anos.
Percorrendo cada uma das fotografias que imobilizou um momento simbólico desta caminhada conjunta, é-nos dada a medida das transformações alcançadas, que não se contabilizam apenas em índices de riqueza e de bem-estar. É este roteiro da mudança que guia a exposição. Ela começa precisamente por lembrar a história da Europa Ocidental do pós-guerra, à qual regressámos em 1986, depois de nos termos libertado das ditaduras que não nos permitiram partilhar, desde o início, o projecto de integração europeia. Uma história que, passo a passo, conduziu a Europa dos escombros de uma guerra fratricida até à paz, à prosperidade partilhada e solidária e, sobretudo, à contínua expansão da liberdade, que hoje abrange quase todo o continente.

 

A Exposição é uma iniciativa do Gabinete em Portugal do Parlamento Europeu, da Representação da Comissão Europeia em POrtugal e da Agência Lusa.