|

X

A "Sala dos Grandes Actos" da Universidade de Coimbra abriu pela primeira vez as suas portas aos cidadãos que vieram para um debate com a Vice-Presidente da Comissão Europeia, Viviane Reding. Para além dos que estiveram presentes, mais cidadãos puderam participar no debate através de ligações vídeo ao vivo para as cidades portuguesas de Aveiro e Angra do Heroísmo, bem como Esch sur Alzette no Luxemburgo. Muitos outros puderam seguir o debate através da cobertura televisiva ao vivo (SIC Interactive). O evento, que durou duas horas, foi um sinal claro de que a União Europeia é uma União de 500 milhões de cidadãos e que o Ano Europeu dos Cidadãos 2013 marcará uma alteração da forma de fazer política: ao participarem no debate, os cidadãos passam a ter uma palavra a dizer sobre o que esperam da Europa e o que querem que a União faça.

O debate centrou-se na crise económica que afeta Portugal e o seu impacto na vida das pessoas. A Vice-Presidente Reding reconheceu as frequentemente dolorosas consequências das políticas de consolidação e saudou os esforços que Portugal e outros Estados-Membros estão a fazer para executarem as reformas necessárias e estimularem o crescimento.

A Vice-Presidente Reding ficou particularmente comovida com a intervenção de uma jovem estudante que se manifestou preocupada com as medidas de consolidação orçamental, que podem impedir muitos estudantes universitários de completarem os seus estudos. Viviane Reding referiu que algumas das escolhas feitas no passado recente, tais como a utilização de um empréstimo para financiar um aumento dos salários dos funcionários públicos imediatamente antes de eleições, não tinham sido ideais. "No caminho para Coimbra vinda do Porto, passei por quatro estádios de futebol novos – todos os vazios. Terá este sido o melhor investimento?" perguntou. Viviane Reding incentivou iniciativas como os "business angels" ou as incubadoras de empresas a trabalharem no sentido de ajudar os diplomados a utilizarem as suas competências a nível da criação de empresas em Coimbra. Elogiando os jovens talentos criativos, instou os estudantes de Coimbra a tornarem-se os novos líderes europeus em matéria de inovação e empresas. "Gostaria de ver o próximo Google inventado na Europa, numa garagem quem sabe não muito longe desta universidade" afirmou Viviane Reding.

Viviane Reding, que é também Comissária para a Justiça e Direitos Fundamentais, tornou claro que continuará a lutar pela igualdade de género, bem como pelos direitos das pessoas com deficiência. "65% dos diplomados universitários são mulheres. Temos de utilizar os talentos das nossas mulheres. Não é apenas uma questão de equidade, é também uma questão de inovação e de oportunidades do mercado", declarou.

Para a Vice-Presidente Reding, o debate em torno do futuro da União Europeia começa pela escuta dos cidadãos. Exortou os partidos políticos a utilizarem as eleições europeias de 2014 para defenderem as suas posições no que se refere aos planos a longo prazo para uma União Europeia mais forte. "Tenho orgulho em ter apresentado a minha candidatura às eleições desde 1979", afirmou Viviane Reding, "e espero que um dia o Presidente da Comissão Europeia seja diretamente eleito por sufrágio universal".

O debate em Coimbra foi o décimo debate entre cidadãos e os dirigentes políticos da Comissão Europeia.

 

 

Mais Informações

Veja o vídeo