|

X

 

O CIED, em parceria com o Cineclube de Santarém, oganizam o IIº Ciclo de Cinema sobre a Europa, no iSPOT -Instituto Politécnico de Santarém.

As entradas são gratuitas.

 

Sessões:

 

20 Maio, 18h30

 

 

Título original: Citizenfour
De: Laura Poitras
Género: Documentário
Classificação: M/12
Outros dados: EUA/ALE, 2014, Cores, 114 min.


SINOPSE: Em Janeiro de 2013, a documentarista Laura Poitras recebe um "email" encriptado de alguém que se denomina de "Citizenfour". Nessa mensagem, são-lhe oferecidas informações inéditas sobre práticas de escutas ilegais da Agência de Segurança Nacional (NSA) e outros serviços secretos norteamericanos.
Poitras trabalhava há anos num filme sobre a monitorização de escutas efectuadas no pós-11 de Setembro e utilizadas ilegalmente pelos serviços de segurança dos EUA. Em Junho do mesmo ano, ela e o repórter Glenn Greenwald decidem viajar até Hong Kong (China), para o primeiro de muitos encontros com o autor daquela mensagem, que mais tarde se apresenta pelo nome de Edward Snowden. Veio a revelar-se um antigo analista da NSA. Entregou-lhes documentos que retirara ilegalmente dos servidores da maior agência de serviços secretos do planeta. As gravações das várias entrevistas que lhe foram feitas deram forma a este filme, que recebeu o Óscar de Melhor Documentário.

 

 

 

27 Maio, 18H30

 

 

 

Título original: Ma'a al-Fidda

De: Wiam Bedirxan, Ossama Mohammed
Género: Documentário
Classificação: M/12
Outros dados: 2014, Cores, 92 min.


SINOPSE: O cineasta sírio Ossama Mohammed vive exilado em Paris desde 2011. Apesar da distância física que o separa do seu país, não consegue evitar a culpa de quem, apenas porque decidiu partir, está a salvo. É contactado por Wiam Simav Bedirxan, uma jovem professora curda que lhe faz uma pergunta fundamental: "Se a sua câmara estivesse aqui, em Homs, o que estaria a filmar?". É deste modo que nasce a ideia de criar um documentário com imagens e vídeos em vários suportes, captadas por ela e por várias outras pessoas sobre horrores da guerra civil, o sofrimento e as crueldades perpetradas. O resultado é uma obra crua, realista e difícil que é, acima de tudo, um retrato de medo e dor.