|

X

 

 

2015: um fim é também um recomeço

 

2015 é um ano especial para o desenvolvimento. É o primeiro Ano Europeu consagrado à acção externa da UE e ao papel da Europa no mundo. Para as organizações de desenvolvimento de toda a Europa é uma oportunidade única para mostrar o empenho da Europa na erradicação da pobreza à escala mundial e motivar mais europeus a implicar-se e a participar no desenvolvimento. Além disso, em 2015 está igualmente previsto alcançar os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio acordados em 2000, e a comunidade internacional deverá decidir qual o futuro do quadro mundial para erradicação da pobreza e o desenvolvimento sustentável.

 

O Eurobarómetro de 2013 mostra-nos dados surpreendentes sobre a forma como os cidadãos europeus veem o desenvolvimento:

- mais de 80% consideram que a ajuda ao desenvolvimento é importante e 60% pensam que temos de reforçar essa ajuda

- dois terços acreditam que a luta contra a pobreza nos países em desenvolvimento deve ser uma das principais prioridades da União Europeia

- 50% declaram contudo, não saber para onde vai a ajuda da União Europeia.

 

Em 2015, será feito um esforço para explicar aos cidadãos europeus como funciona a ajuda ao desenvolvimento e para demonstrar que produz efeitos concretos e duradouros. Irá mostrar-se aos contribuintes que o seu dinheiro está a ser utilizado da melhor forma possível para ajudar as pessoas em todo o mundo que, sem terem culpa nenhuma, se encontram numa situação de pobreza, dando-lhes meios de subsistência para si, suas famílias e comunidades.

 

Durante todo o ano, serão apresentadas pessoas que trabalham no terreno nos nossos países parceiros. Num mundo em rápida mutação, a fronteira que separa o mundo desenvolvido do mundo em desenvolvimento é cada vez mais ténur. Há antigos países em desenvolvimento que se tornaram doadores emergentes, enquanto outros contonuam submersos na pobreza. Entretanto, surjem novas formas de financiamento e novos parceiros de desenvolvimento. A relação tradicional entre doador e beneficiário deu lugar à cooperação, responsabilidade e interesse mútuos. Ajudar os países em desenvolvimento em todo o omundo a construir sociedades pacíficas e prósperas não é só uma questão de justiça. Trata-se também de contribuir para um mundo mais seguro e que proporcione à Europa mais oportunidades económicas e comerciais. Este ano reflectirá este facto.

 

Toda a informação aqui:

https://europa.eu/eyd2015/pt-pt